Propriedade da Família Crestani
"Uma volta no tempo"

   


Serve-se o "Chá da Nona" por encomenda para no mínimo 20 pessoas.
Aberto às visitações às Quartas, Sábados e Domingos Degustação de Aguardente, Copas e Queijos.

Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Clique aqui

 

Vindos do norte da Itália, no final do século XIX,  os Crestani se estabeleceram na região de  Caxias do Sul, mais precisamente em Farroupilha.  No começo do século XX, vieram para Tapera onde todos iniciaram sua profissão como donos de serrarias.
Como as matas eram abundantes e ricas em madeira de qualidade como a araucária, o pinheiro brasileiro, construíram suas casas e venderam madeiras prontas para que outros pudessem fazer as suas.
   
   

A propriedade apresenta sua história contada através dos objetos, utensílios, móveis, ferramentas de trabalho e fotos de seus antepassados.
A casa possui esta forma pois em épocas que não existia energia elétrica, o uso de lampiões para iluminação noturna significava risco de incêndio assim como os fogões rústicos representavam perigo também. Acreditava-se poder evitar a queima de uma das partes da casa isolando-as. A ligação era feita por um corredor externo, embelezado por uma grade de madeira trabalhada que tornava a contrução mais bela.



   
A pia é uma réplica da primeira pia da casa,
feita de madeira.
A cama rústica e a mais simples foram feitas
pelo bisavô Luiz Crestani em 1922.
   
A simplicidade dos objetos demonstra a preocupação que os antepassados
tinham em trabalhar e aumentar suas economias
e não em viver muito confortavelmente.

   


A cristaleira é original da casa
e abriga utensílios
de cozinha.
Além do turismo rural, a propriedade cultiva soja, milho,
trigo e aveia, produz aves de corte, suínos, peixes, e fabrica cachaça artesanal

Inaugurado em 30 de maio de 1938,  o forno de barro já assou 25 pães de uma só vez, para sustento da família e os empregados das serrarias.
Máquina a Vapor de 1900

Casa de 1927 conserva até hoje a sua arquitetura
externa seguindo as características da época.

Na propriedade da Família Crestani conserva-se até hoje o costume de fazer a polenta ao modo italiano.
depois de cozida, vira-se em uma tábua de madeira e come-se com queijo. Feita de farinha de milho que é fabricada num moinho de pedra, que garante um farinha de melhor qualidade.
E ainda fala-se a língua italiana trazida pelos antepassados.

Propriedade Rural da Família Crestani
Linha Etelvina - Tapera - Rio Grande do Sul - Brasil
E-mail:familiacrestani@bol.com.br
Fone: (54) 9994-9446 e
(54) 54 9972 4269
  

"Foi assim uma carroça e um terno de mulas que a nossa família começou a vida"
Carroça e mulas eram usados para o transporte das toras e das madeiras beneficiadas.