Saúde

A prevenção ainda é a única arma contra a dengue

O aparecimento do vetor da dengue (Aedes aegypti) na forma adulta vem aumentando drasticamente em Tapera, conforme o Levantamento Rápido de Infestação, realizado pelo setor de Vigilância Sanitária nos últimos dias. O mosquito Aedes aegypti é estritamente urbano e todo cuidado se faz necessário. De acordo com o supervisor Nacional de Combate à Dengue para Tapera, José Roberto Rech, a única forma de combater o mosquito é evitando acúmulo de água, propício para a proliferação do mosquito: “salientamos a importância de avitar o acúmulo de água em latas, embalagens como copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d´água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras. A água das piscinas deve ser tratada durante todo o ano.  O miolo das bromélias cultivadas em áreas cobertas deve ser tratado com água sanitária. As bromélias que não estão no seu habitat natural perdem sua defesa e passam a ser um potencial criadouro do mosquito”, comentou Roberto. Quem coleta água da chuva, deve vedar a tampa, a entrada e a saída da caixa com tela mosqueteira, além de colocar uma pastilha de cloro na água.

O mosquito transmissor da Dengue passa por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto. Os ovos sobrevivem até dois anos sem o contato com a água. Na fase adulta, o mosquito se adapta e sofre constantes mutações, por isso é tão importante que o trabalho de prevenção seja realizado diariamente.

A Secretaria Municipal de Saúde realiza o trabalho de prevenção e orientação através das Agentes de Combate a Endemias, que visitam as casas e verificam se há possíveis criadouros. “é um trabalho conjunto com a comunidade e é importante que cada um faça a sua parte”, argumentou o supervisor Nacional de Combate à Dengue para Tapera